© Edgar Kanaykõ Xakriabá

KA’ADELA – AÇÃO COLETIVA DE CONTRA-ATAQUE | IDYLLA SILMAROVI (MG) + JUÃO NYN (RN/SP)

Resultado de residência artística realizada durante o Panorama 30 Anos

A plataforma Ka’adela vem desde 2021, a partir da parceria com o festival Panorama Raft, realizando cartografias de monumentos coloniais nos espaços urbanos e criando estratégias performativas de disfarce, reocupação e destituição dos imaginários coloniais presentes na cidade na efemeridade das artes da presença. Dessa forma, propõe a reativação de memórias que desafiam os sistemas coloniais e que trazem à tona, por sua vez, as memórias ofuscadas por esses mesmos sistemas que estão presentes não na arquitetura das cidades, mas nos corpos.

Por se tratar de um coletivo composto por pessoas de diversos territórios, a estratégia de criação acontece a partir de residências artísticas entre os membros do coletivo, para a elaboração das performances criadas nos monumentos. Agora, comemorando os 30 anos do Festival Panorama, Ka’adela propõe abertura do processo criativo com o público, em formato de residência artística para criar, coletivamente, uma ação com mais corpos, criando novas redes de contra ataque à este imaginário colonial. 

Dessa forma, as pessoas interessadas à essa discussão e experimentação são convocadas a somar forças para a criação de um ato coletivo por monumentos do Centro do Rio de Janeiro. 

Idylla Silmarovi é artista da cena e pesquisadora. Mestre em artes cênicas pela UFOP. Seus trabalhos discutem as intersecções entre arte e ativismo no que tange o debate em torno da memória como direito negado pelo cis-tema colonial. Trabalha em aliança com coletivos de arte e movimentos sociais. Cria espaços autônomos de criação. Se interessa em coroar travestis e derrubar monumentos coloniais. Acredita em guerrilhas.

Juão Nyn é multiartista, Potyguar(a), 33 anos, ativista comunicador do movimento Indígena do RN, integrante do Coletivo Estopô Balaio de Criação, Memória e Narrativa e vocalista/compositor da banda Androyde Sem Par. Formado em Licenciatura em Teatro pela UFRN, há 8 anos em trânsito entre RN e SP.

O projeto Ka’adela é uma plataforma de pesquisa e experimentação desenvolvida pelo Coletivo Autônomo Temporário. Este coletivo é criado pela artista e pesquisadora Idylla Silmarovi no ano de 2021 e tem reunido artistas e ativistas transdisciplinares para desenvolvimento de projetos artísticos pautando ética e esteticamente questões em torno dos “apagamentos de memória”, bem como seus “levantes e retomadas”, compreendendo as artes da presença como uma potencial estratégia de criação e destituição de ficções e imaginários. Como aponta o próprio nome do coletivo, produzimos zonas autônomas e temporárias de criação no campo da performance nos espaços urbanos, se articulando assim como uma plataforma de investigação nas artes da presença contemporânea. O coletivo conta hoje com os artistas: David Maurity, Edgar Kanaykõ Xakriabá, Fredda Amorim, Idylla Silmarovi, Juão Nyn, Rafael Bacelar e Vina Amorim.

20 e 21 jan | 18h

Percurso Praça Mauá > Praça Tiradentes

Entrada franca

FICHA TÉCNICA

Proponentes:  Idylla Silmarovi e Juão Nyn
Artistas-residentes: Águi, Álamo Facó, Alan Athayde, Anderson Almos, Arto Facó, Fany Magalhães, Gabriela Perigo, Pivaz, Jéssica Meireles, Laura Silveira da Cunha, Lomaritaka, Margot, Michele, Patrick Lyan, Tayson Pio, Tetsuo Takita, Yumo Apurinã